Município já imunizou 20 crianças contra a covid-19

Veja a história de Juliano Züge (11), morador da Linha Boa Vista foi o primeiro candelariense a ser vacinado e confira também a lista de comorbidades e como comprovar cada uma delas.

0

A imunização para crianças de 5 a 11 iniciou em Candelária e demais cidades do estado nessa quarta-feira (19). A estimativa é de que 2,6 mil candelarienses estejam dentro desta faixa etária, segundo dados da secretaria municipal de Saúde. Para os candelarienses a data é duplamente especial, pois além da chegada deste momento tão aguardado pelos pais, a campanha de imunização no município completou um ano nessa quarta (19).

O cronograma estabelecido pela secretaria estadual de Saúde (SES) prevê que crianças com comorbidades serão as primeiras a ser vacinadas. Estima-se que no município, das 2,6 mil crianças entre 5 a 11 anos, cerca de 500 tenham alguma comorbidade. Após este grupo ser atingido, o critério aplicado será a faixa etária que iniciará nos 11 anos com redução progressiva até os cinco.

A coordenadora de imunizações do município, Nerizane Fornari, explica que devido aos protocolos específicos como a observação de 20 minutos do paciente após a vacina, em um primeiro momento estima-se que o município consiga imunizar inicialmente até 30 crianças por dia. Ela também enfatiza que é preciso levar um atestado médico ou documento equivalente que comprove a comorbidade para que a criança possa ser vacinada.

Segundo a coordenadora, o plano divulgado pela SES até o momento não prevê distribuição de doses suficientes para atender todas as faixas etárias no estado. “A previsão atual é de que em março inicie a distribuição de doses para crianças de até nove anos, mas só vamos saber na prática de acordo com a demanda”, antecipa. Até o dia 28 de março chegarão semanalmente 150 doses de imunizantes ao município.

CAPACITAÇÃO- Para iniciar as vacinações, os profissionais de saúde realizaram diversos treinamentos da semana passada. “Tivemos inúmeros treinamentos online do Ministério da Saúde, da secretaria estadual de Saúde, da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde e também treinamentos municipais. A população pode ter certeza que os vacinadores que irão atendê-los foram capacitados de todas as formas possíveis – em nível federal, estadual, regional, municipal e de forma presencial ou online. São profissionais com um comprometimento muito grande e de nossa total confiança”, destaca Nerizane.

Enfim o momento tão esperado

Juliano Henrique Züge, 11 anos, foi a primeira criança a ser vacinada no município. Ele e seus pais acordaram cedo para se deslocar da Linha Boa Vista até a sala de vacina do PAM Central. “Levantamos às 5h30 e às 6h45 já estávamos aqui. Como eram só 150 doses, quisemos vir logo para vacinar ele o mais rápido possível e dar uma proteção a mais para ele que tem asma”, conta Meriele Vanessa Züge (31), mãe de Juliano.

Logo que a agricultora e seu marido Jéferson se vacinaram, ela já esperava pelo início da imunização infantil, pois além da doença crônica, o filho utiliza ônibus até a escola, o que aumentava a preocupação de Meriele por conta de ser um ambiente fechado e com muitas pessoas.

Até lá, foram vários momentos de apreensão. “Toda vez que os casos aumentavam, o coração apertava. Ficava com medo dele se contaminar porque as crianças não se cuidam tanto quanto deveriam e por isso estão mais vulneráveis”, relata. Por isso, a sensação atual, como descreve a mãe, é de alívio pela proteção adicional do filho que será reforçada no dia 16 de março, quando Juliano pode voltar para realizar a segunda dose.

Agora toda a família está vacinada – os pais com as três doses e Juliano com a primeira. “É um alívio para o coração e para a cabeça”, afirma. Além de Juliano, outras 19 crianças com comorbidade já foram imunizadas contra a covid-19 até ontem (quinta-feira).

Meirele está mais tranquila agora que toda a família está vacinada

Funcionamento da vacinação infantil em Candelária

 >>Onde? Sala de Vacinas ao lado da pediatria no PAM Central

 >>Quando? Segunda a sexta das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h

 >>O que levar? Cartão SUS, carteira de vacinação e atestado que comprove a comorbidade – sem o atestado não é possível realizar a imunização.

 

Importante: Veja a lista de comorbidades e como comprová-las

A lista também está disponível no Centro Municipal de Vacinas, na ala de pediatria do Pam Central e os pais também podem pedir ela impressa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here