Colheita inicia com otimismo por parte dos produtores

Previsão da Afubra é de redução na área plantada mas manutenção nos níveis de produtividade. Compra antecipada dos setores fumageiro faz produtores esperarem um bom preço de comercialização para a safra 2021/2022

0

A colheita de tabaco para a safra 2021/2022 já iniciou em Candelária. Segundo o coordenador de mutualidade da Afubra, Carlos Loewe, a previsão é de que ocorra uma nova redução na área plantada no município. “Imaginamos uma redução de 7% a 8%. Em relação à produção de quilos por hectare, a projeção é de que o bom nível produtivo do ano passado se mantenha”, resume.

Por conta do clima, a colheita iniciou duas semanas mais cedo em comparação com anos anteriores. “A expectativa é de que até o Natal, todo ou quase todo o fumo tenha sido recolhido na parte baixa de Candelária.

Um ponto interessante para os produtores é que as fumageiras comprarão o tabaco antes da virada do ano. “Há muitos anos isso não acontecia. Acredito que seja pela falta de estoque. O que pode fazer com que o tabaco seja mais valorizado”, avalia Loewe.

O produtor Edson Melchior já iniciou a colheita de seus 100 mil pés de fumo no bairro Rincão Comprido. Seguindo a tendência do município, também iniciou a safra 15 dias mais cedo.

Essa é a sétima safra de Mechior, que traçou o caminho contrário da maioria dos produtores. Após trabalhar 13 anos no setor de alimentos da multinacional PepsiCo, resolveu ir para a lavoura e começar a cultivar tabaco junto com seu pai, Arnildo Melchior. “Amigos e parentes meus diziam que eu era louco por largar uma empresa grande para ir para a lavoura, mas foi uma opção minha. Eu queria vir plantar, é o que gosto de fazer”, relata.

O fumicultor conta que o clima ajudou os pés de tabaco se desenvolverem de forma satisfatória e a previsão de poucas chuvas para este mês colabora com o peso das folhas. No entanto, sua lavoura enfrenta uma dificuldade que tem atingido produtores de todas as culturas: o elevado custo de produção causado pela elevação do preço da mão de obra e insumos.

Margem de lucro cada vez menor

O produtor Edson Melchior salienta que a margem cada vez mais estreita de lucro é um ponto que as fumageiras devem começar a olhar com mais atenção para não ficarem sem o produto. “A maior parte do dinheiro que eu movimento durante a safra escoa no custo de produção, o que sobra é pouco perto do investimento que faço e do risco que corro”, diz.  “As pessoas estão abandonando a produção de tabaco. Só continua quem acredita que no futuro ocorrerá alguma melhora”, pontua.

Sua expectativa é de que para essa safra os produtores consigam um bom preço de comercialização. “Tudo nos leva a deduzir que será boa, mas só iremos saber mesmo quando o fumo estiver na esteira para classificação. Confiante e esperançoso eu estou, assim como os demais”, conclui.

Dados da safra 20/21 em Candelária 

Área plantada…………………………………………………………5.418 hectares

Produtividade…………………………………………………….. 2.375 kg/hectare

Produtores associados……………………………………………. 3.060 famílias

Fonte: Afubra

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here