Bombeiros Voluntários celebram 22 anos de atividades

Aniversário da corporação é marca também os 5 mil atendimentos prestados à comunidade desde 1998

0
Em 22 anos de fundação, corporação voluntária contabiliza 5.220 atendimentos feitos à comunidade. Foto: Arquivo/JC

Esta segunda-feira (23) é dia de festa para o Corpo de Bombeiros Voluntários de Candelária. A entidade completa 22 anos de atividades voltadas ao esforço, cuidado e dedicação em salvar vidas dos habitantes da Terra do Botucaraí e da região. Neste ano em especial, a data é marcada por um importante número alcançado pela corporação, a de 5 mil atendimentos prestados à comunidade.

Ao todo, desde o início dos trabalhos, em 1998, foram 5.220 ocorrências atendidas. Somente em 2020 foram 398 atendimentos, quase 100 a mais do que registrado em 2019, quando 304 foram contabilizadas. Nos últimos anos, o número de atendimentos vem crescendo de maneira constante, o que cada vez mais tem forçado os bombeiros a investir em estrutura, maquinários e equipamentos.

Entre os atendimentos prestados, estão combate a incêndios, resgates, atendimento pré-hospitalares em acidentes como os principais. Também há ocorrências diversas, como a registrada na semana passada, quando um lagarto foi resgatado de dentro de uma residência no Centro. “Já resgatamos lagartos, raposas, cobras verdes e devolvemos para a natureza; essas ocorrências vem acontecendo seguidamente, e fazem parte do trabalho”, destacou o presidente executivo dos Bombeiros Voluntários, Arzélio Strassburger, que atua há pelo menos 12 anos na corporação e está a frente da entidade há seis anos.

Um dos atendimentos que mais vem sendo realizado pela entidade tem relação direta com a estiagem, que atingiu Candelária no início deste ano e já ameaça a distribuição de água neste final de 2020. A corporação realiza a distribuição de água, mediante pagamento de taxa, aos moradores afetados pela seca no interior e chega a transportar até três cargas por dia do líquido. Só na primeira metade do ano, foram entregues cerca de 444 mil litros de água.

Segundo o presidente executivo, essa não é a função da corporação, mas mesmo assim realiza esse trabalho. “A entrega de água não é nossa finalidade, isso deveria ser feito pelo poder público, mas não é feito; nós fazemos por que pensamos na comunidade”, critica.

INFRAESTRUTURA
Desde o ano de 2014, quando teve início o convênio com a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), os investimentos em melhorias começaram a ocorrer de uma maneira mais fácil. Conforme o presidente dos Bombeiros Voluntários, os recursos são fundamentais para que a entidade possa cada vez mais evoluir e expandir. “Deu para ver que conseguimos progredir; nossa estrutura evoluiu com a aquisição de veículos, mas ainda falta muita coisa”, destacou Strassburger.

A entidade se mantém, além do convênio com a EGR, no valor de R$ 15 mil por mês, com doações de empresas da cidade e de pessoas que veem o trabalho dos bombeiros como fundamental. Outra fonte de renda é a parceria com a prefeitura municipal, que repassa R$ 8 mil mensais para custeio de operacionalidade. “Esses valores são inferiores ao que a gente necessita; eles custeiam apenas o salário de dois funcionários que lidam com a parte burocrática, combustível dos veículos e pequenas despesas, mas outras maiores, com manutenção, ainda é pouco”, ressalta o presidente.

FROTA
Hoje, o Corpo de Bombeiros Voluntários conta com cerca de 50 voluntários no quadro ativo, que se revezam na escala de plantões conforme a disponibilidade de cada um. Na frota, existem cinco caminhões, destes, quatro contam com autobomba tanque, sendo um deles novo, adquirido em setembro do ano passado e que passou a entrar em funcionamento neste ano.

O veículo é todo novo, possui equipamentos de primeira linha para o resgate e o combate a incêndios e contribui na otimização do uso de água, pois tem maior capacidade de armazenamento. Além disso, tem capacidade de levar água até o décimo andar de um prédio caso necessário. “Temos que continuar investindo, porque a cidade está crescendo e nós temos que tentar crescer no mesmo ritmo. Há indústrias, empresas e por isso é necessário que a gente tenha equipamentos adequados para dar conta da demanda, como esse novo caminhão.” destacou.

O primeiro caminhão dos Bombeiros Voluntários foi adquirido em 1998. Ele veio da cidade de Giessen, na Alemanha, e foi trazido por Lauro Radtke, um dos criadores da corporação, após visita do alemão Dietter Becker. Outros dois veículos foram doados por Joachim Krämer, comandante do Corpo de Bombeiros da cidade alemã. Um deles foi conseguido na cidade de Bad Nauheim. Todos os veículos chegaram em novembro de 1998, no porto de Rio Grande pois foram trazidos de navio. Eles seguiram até a cidade e estão em uso até hoje servindo a comunidade. Mais tarde vieram mais dois veículos, também da Alemanha.

Ao todo, corporação conta com cerca de 50 voluntários para o serviço. Foto: Fernando Cezar/JC

Corporação irá celebrar com a venda de galeto

Em comemoração aos 22 anos da corporação, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Candelária irá promover, no dia 5 de dezembro, um galeto para angariar fundos. A ficha irá custar R$ 25 e dá direito a seis pedaços de galeto, arroz, maionese e repolho.

Conforme os bombeiros, não é necessário levar recipientes, pois os alimentos serão entregues já embalados para evitar filas e aglomerações em razão da covid-19. A princípio, a retirada do galeto vai ocorrer a partir das 11h30 na sede da corporação, localizada na Rua Intendente Albino Lenz, 460. A pessoas interessadas podem adquirir as fichas com os integrantes do Corpo de Bombeiros ou diretamente na sede da corporação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here