Sindicato Rural iniciou a distribuição de 150 cestas básicas

Parceria com Senar destina 15 kg de alimentos não perecíveis à famílias carentes

0

O Sindicato Rural de Candelária iniciou nesta semana a distribuição de 150 cestas básicas à agricultores em situação de pobreza e extrema pobreza. Cada cesta contém 15 quilos de alimentos não perecíveis e valor estimado de R$120. Ao todo, são R$18 mil em doações alimentícias para pessoas em situação de vulnerabilidade.

José Emmel, presidente do sindicato, conta que os recursos se originam do movimento Agro Fraterno, de abrangência nacional e liderado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, pela Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e com apoio do Ministério da Agricultura. “Aqui no RS o suporte é dado pelo sistema Farsul ao qual o Sindicato Rural é filiado e por isso recebeu as cestas básicas”, explica.

O número de cestas destinadas a Candelária foi estipulada pela secretaria estadual de Agricultura através de um levantamento com o intuito de analisar as condições socioeconômicas de cada município. “As quantidades para cada município foram determinadas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e apuradas pela secretaria estadual de Agricultura. Acreditamos que possa haver mais pessoas nessa situação em Candelária, mas no primeiro momento apenas 150 famílias serão contempladas”, explica Emmel.

Para selecionar as 150 pessoas que receberiam a cesta numa lista com mais de 600 nomes, o Sindicato Rural trabalhou em conjunto com o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), que forneceu os dados da população em situação de vulnerabilidade, além dos critérios de seleção e também da Emater, que muitas vezes trabalha junto a essas famílias que estão em situação de extrema pobreza. “É uma maneira nova de ajudar aqueles que não tiveram tanto retorno nas suas atividades nesse período de pandemia. Muitas vezes essas pessoas não são contempladas com os programas já existentes. Foi a maneira que o Senar achou para ajudar as pessoas a enfrentarem essa fase”, avalia Emmel.

Preocupação com transparência

Para garantir que as cestas serão entregues a quem realmente precisa, o sindicato assinou um termo onde se compromete a distribuir os alimentos somente para pessoas que preencham todos os requisitos de seleção. No momento da entrega o beneficiado assinará um termo de recebimento além de a realização de uma fotografia de cada pessoa junto a cesta, onde deve constar seu nome completo e a data de recebimento.

Para o presidente do Sindicato Rural esse procedimento demonstra a clareza e seriedade com que o sistema CNA/Senar administra e aplica os seus recursos. “Se tudo correr bem, é provável que o programa continue e consigamos atender mais pessoas no futuro”, projeta.

CONTEMPLADOS- A primeira cesta a entregue foi na Linha Brasil para a agricultora Eduarda Sabrina Pfeifer, 21 anos. Para ela, a cesta veio em boa hora para sua família, composta por seu marido Gildomar Boeck, 28 anos, e seu filho Caio Henrique, de apenas quatro. “Vai ajudar bastante. Eu recebo o bolsa-família e no último mês faltaram algumas coisas porque os preços subiram demais e a gente não consegue comprar tudo”, afirma.

ITENS DA CESTA

>>5 kg de arroz tipo 1
>>2kg de feijão preto
>>2kg de leite em pó integral
>>1 frasco de óleo de soja (900ml)
>>2 kg de macarrão espaguete
>>1kg de açúcar cristal
>>1kg de farinha de milho

Valor total: R$120

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here