Prefeitos aprovam treze medidas para combater avanço da Covid-19 no Vale do Rio Pardo

Abertura de restaurantes, bares e similares terão horário limite até 23h

0
Restartantes, bares e demais estabelecimentos podem funcionar até 23h. (Foto: Arquivo/ Jornal de Candelária)

O Governo do Estado já está com o plano de ação aprovado pelos prefeitos dos municípios que integram a Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp). Em um primeiro momento, nenhuma atividade econômica ou social será proibida, mas o Comitê Técnico Regional incluiu restrições consideradas brandas principalmente nos protocolos de teto de ocupação e horário de funcionamento dos estabelecimentos. Restaurantes, bares e similares terão horário limite de abertura até as 23h.

Entretanto, uma nova revisão será feita dentro de sete dias, e caso as medidas não surtem efeito, ações mais severas podem ser tomadas. Conforme os integrantes do órgão, a proposta principal do plano são ações concretas de políticas públicas que precisam ser implementadas e melhoradas na região, e não o fechamento do comércio e da indústria. As sugestões de restrições vão desde o escalonamento de funcionários, teletrabalho para setor público e empresas, menor circulação de pessoas, até a limitação na ocupação dos estabelecimentos e do transporte público e coletivo.

O Comitê ainda solicitou aos prefeitos uma ação efetiva de fiscalização para combater aglomerações. O plano de ação prevê duas fases: a primeira compreende em estabilizar em até 15 dias a evolução dos indicadores da pandemia, e a segunda em reduzir os índices após o mesmo período. Entre as doze iniciativas, o médico infectologista e assessor técnico da Amvarp, Marcelo Carneiro, destaca a necessidade de avançar na vacinação e a política de testes e rastreamento de contatos.

“É momento de agir. E o que é mais racional hoje é vacinar todo mundo e testar o máximo possível de pessoas com sintomas. Aí sim vamos controlar a doença. Testando e deixando em casa quem está doente, vamos ter um controle ambiental e diminuição dos casos na comunidade. É algo que se falou muito em 2020, e agora está viável financeiramente aos municípios”, esclarece Carneiro.

Outras medidas incluem uma articulação institucional entre as cidades, com reuniões semanais para acompanhamento dos indicadores, a oferta de atendimento médico ambulatorial e também hospitalar a todos os casos suspeitos e confirmados, conscientização e ampliação da testagem, educação em saúde com um plano de funcionamento de escolas e revisão do funcionamento das empresas, como a emissão de alertas de surtos. Ainda estão no documento, campanhas de comunicação, fiscalização orientativa e punitiva e o monitoramento e avaliação dos resultados.

Além disso, o Comitê também recomenda a criação de um certificado de local seguro, uma espécie de selo que garante o cumprimento dos protocolos em empresas e estabelecimentos. Agora, o comitê estadual deverá analisar as medidas e aprová-las. Contudo, elas já começam a ser aplicadas nos município da região, incluindo Candelária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here