Morte de policial cachoeirense comove comunidade

A soldado Marciele Renata dos Santos Alves foi atropelada por quadrilha durante ação da BM e não resistiu aos ferimentos.

0
Natural de Cachoeira do Sul, a jovem havia ingressado na polícia em 2012. Foto: Divulgação/Facebook

operação que resultou na morte de uma policial nessa segunda-feira (25) comoveu a comunidade em geral e colegas da soldado Marciele Renata dos Santos Alves, 28 anos. Em entrevista à rádio Gaúcha, o comandante Regional do Vale do Rio Pardo, coronel Valmir José dos Reis, falou sobre o homicídio da agente, que foi atropelada enquanto abordava criminosos que roubaram um carro.

— É um momento muito triste. Quando você sai para uma ocorrência, só sabe o início dela. A gente lamenta muito uma policial jovem ter que pagar com a vida — disse o coronel.

Natural de Cachoeira do Sul, a jovem havia ingressado na polícia em 2012 e era filha de um sargento da região. Ela atuava no Pelotão de Operações Especiais (POE) do 23º Batalhão de Polícia Militar (23° BPM), de Santa Cruz do Sul.

Conforme o comandante, uma quadrilha roubou uma Hilux em Venâncio Aires, por volta das 12h. O grupo era observado pela polícia e foi localizado pelas autoridades perto da cidade de Serio, onde um cerco foi feito.

Na ação, a policial foi atropelada pela quadrilha e não resistiu aos ferimentos. Três assaltantes foram mortos no loca. A ocorrência está em andamento, e a BM tenta capturar demais criminosos no cerco.

Nesta tarde, o Executivo divulgou texto sobre a morte.

“O governo do Estado solidariza-se com os familiares e amigos e com a corporação, que bravamente atua em defesa da sociedade gaúcha, e presta sua homenagem a soldado Marciele pela coragem e dedicação ao longo da sua trajetória na BM. O Estado prestará assistência à família. As forças de segurança não medirão esforços para capturar e prender demais responsáveis pelo roubo e pela morte da PM.”

Fonte: ZH

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here