Ginásios liberados, protocolos diferentes

Pratica de esportes foi liberada, contudo, regras impostas no decreto estadual que autoriza atividades não estão sendo cumpridas

0
Nesta semana atletas voltaram as quadras para matar saudade dos jogos, que estavam suspensos desde março. Foto: Fernando Cezar/JC

Ao contrário da estimativa inicial prevista para o final do mês de setembro pela secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, os ginásios Walter Filter e Dr. Gomes já estão aptos a receber atletas para a prática esportiva. Os espaços foram reabertos na última segunda-feira (21), após a liberação do Centro de Operações Emergenciais (COE). A abertura das quadras foi possível após a publicação do decreto estadual 55.482, o qual determina uma série de regras que devem ser seguidas à risca pelos usuários para que a prática se mantenha ativa.

Entre as restrições previstas no decreto está a limitação dos ginásios apenas para quem participará do horário programado, a disponibilização de álcool gel, bem como o uso de medidor de temperatura, que serve para permitir a participação das atividades apenas para quem estiver abaixo de 37°C. Ainda terá a disponibilização de cadeiras individuais, as quais são higienizadas após cada equipe que utilizar a quadra.

O decreto também determina o intervalo de uma hora entre um horário de prática e outro, a fim de evitar aglomerações e permitir a higienização. Proíbe ainda a abertura de bares e churrasqueiras dentro dos estabelecimentos. (Confira as regras mais abaixo)

REGRAS NÃO ESTÃO SENDO CUMPRIDAS

Na prática, as normas estão sendo cumpridas apenas nos ginásios e quadras privadas, enquanto que nas quadras pertencentes ao município, como o Ginásio Walter Filter, por exemplo, serviços como o bar está em funcionamento e o intervalo é de apenas cinco minutos. Além disso, não há um controle rigoroso pelos responsáveis pela quadra ou da prefeitura na medição de temperatura dos atletas. Esta é feita pelos próprios jogadores. Também houve a presença de familiares dos jogadores, o que não é permitido pelas regras do Estado.

De acordo com o coordenador do Centro de Operações de Emergência (COE), Dionatan Tavares, as normas devem ser seguidas conforme o definido pelo Estado, mas que as falhas verificadas não estavam sob o conhecimento do COE. “Vamos debater isso internamente com os membros do Centro de Operações. O que foi determinado pelo Estado tem que ser feito”, salientou.

O diretor de Esportes do município, Flávio Kochenborger, destacou que as mudanças em relação as normas estaduais estavam previstas em um documento com protocolos enviados ao COE municipal. “Enviamos um documento e ele foi aprovado, e por isso liberamos as atividades desta forma”, comenta.

Tavares, no entanto, reforçou que pode ter havido um equívoco e que isso será revisto. “Nós nem visualizamos o protocolo enviado, pois entendemos que não seria necessário já que as regras que deveriam ser seguidas estavam no decreto do Estado”, afirma.

RETORNO CELEBRADO
Mesmo com as restrições impostas pelo decreto e com algumas adaptações ainda a serem feitas, o retorno às quadras é celebrada pelos praticantes. O responsável por uma das equipes que agenda horários no Walter Filter há cerca de 30 anos, Clovis Ristow, ressalta que o retorno era aguardado com ansiedade por ele e pelos seus amigos. “Foram seis meses e cinco dias sem jogar, é um alívio poder retornar, mesmo que tenha que se cumprir todos esses protocolos, mesmo que estejam bem flexíveis”, ressalta.

Já Vinicios Zuse, responsável por outra equipe também no Walter Filter, comenta que o retorno dos jogos está ocorrendo de forma gradativa, e que o respeito aos protocolos é necessário para manter tudo em ordem. “Temos sempre que manter o cuidado. Estamos voltando agora, por isso temos que ter a consciência e tentar manter as atividades o mais seguro possível”, destaca.

Medianeira segue protocolos à risca para atender a todos com segurança

Ao oposto do que é feito nos ginásios municipais, no Colégio Nossa Senhora Medianeira, que possui dois espaços para a prática esportiva, o Ginásio João Corrêa e a quadra com gramado sintético, todas as normas estão sendo cumpridas de acordo com a determinação do governo do Estado para a retomada.

Cada responsável pelos horários deverá encaminhar a quantidade de participantes de forma prévia, com número máximo de 12 pessoas. Todos deverão usar máscaras antes das atividades, exceto no momento do jogo. Cada jogador deve preencher uma planilha com o nome, RG, CPF, endereço e a temperatura apontada pelo termômetro antes de entrar em quadra.

Os horários são um atrás do outro, no entanto feitos em quadras opostas. Por exemplo, enquanto a prática é feita na quadra sintética, a quadra do ginásio fica preservada e higienizada. No horário seguinte, a situação é oposta, e assim sucessivamente. Isso garante a manutenção da regra de uma hora de intervalo para higienização, a qual é feita por um funcionário da escola sempre após os jogos. A entrada e saída dos participantes também é controlada. A entrada ocorre pelo ginásio, com a assinatura das planilhas. Já a saída é pelo portão lateral, na Avenida Júlio de Castilhos. Familiares também não podem assistir as atividades. A venda de bebidas e a abertura do bar permanecem suspensos.

O responsável pelo financeiro do Medianeira e também pela liberação das atividades nos ginásios da escola, Delmar Luis Faber, destaca que o retorno é importante, visto que boa parte das coisas já começaram a voltar à normalidade. “Era um retorno já previsto e que vai ocorrer aos poucos. Estamos sendo o mais correto possível e cumprindo as normas à risca para que ninguém tenha problemas ou seja contaminado”, salientou.

Medianeira segue todos os protocolos como manda o decreto estadual. Foto: Fernando Cezar/JC

Regras a serem observadas

>> Limitação do acesso aos ginásios a apenas pessoas que
participem do horário marcado com familiares vedados;

>> Utilização de tapete sanitizante na entrada do ginásio e também de álcool gel para a higienização;

>> Medição de temperatura com termômetro digital infravermelho. Em caso de temperatura superior a 37,8 graus, o atleta não poderá participar da atividade;

>> Cada participante terá uma cadeira específica para colocação dos pertences; elas são higienizadas a cada troca de horário pelo ecônomo do local; A cada uso da quadra é necessário efetuar a limpeza do piso com uso de água sanitária e desinfetante;

>> Intervalo entre os jogos deve ser de 1 hora, como determina o decreto estadual;

>> Bares e churrasqueiras fechadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here