Detentos realizam reforma na delegacia

0
Detentos realizaram a troca do telhado na antiga sede da Polícia Civil - Crédito: Divulgação / Susepe

Uma oportunidade de socialização. Através de parceria entre Polícia Civil e Susepe, está em andamento a reforma de vários espaços da sede da Delegacia de Polícia de Candelária com uso de mão de obra carcerária.
Conforme a delegada Alessandra Xavier de Siqueira, a ideia de usar os presos surgiu a partir de uma experiência semelhante vivenciada pela delegada na cidade de Uruguaiana onde utilizou a mão de obra de pessoas condenadas pela justiça à prestarem serviços comunitários em reforma semelhante desenvolvida na delegacia da cidade. “Temos uma parceria com a Susepe que fornece a mão de obra feita por detentos com a presença de monitor e mediante autorização judicial para eles executarem o serviço”, frisou.
A reforma na delegacia candelariense é realizada por cinco detentos do Presídio Estadual de Candelária e está sendo feita aos poucos, em razão da falta de recursos para a aquisição do material. Os banheiros internos da delegacia receberam um novo piso e rejunte nos azulejos das paredes. O trabalho se concentra no prédio da antiga sede da delegacia, local que antigamente era utilizado para eventos dos policiais civis e que está desativado. No local, os presos instalaram um novo telhado de zinco, que foi doado pela empresária Lenara Trevisan, restando alguns reparos a serem finalizados. A próxima etapa será a pintura interna e externa do espaço. “Abri um procedimento interno para adquirir as tintas. Assim que o material estiver à disposição, o trabalho será retomado”, destacou a delegada.

Delegada Alessandra mostra o prédio da antiga sede da DP com o novo telhado – Crédito: Tiago Garcia / JC

A delegada salientou que pretende usar o espaço da antiga sede para instalar a sala de mediação de conflitos no futuro. A delegacia também foi contemplada com uma doação do Sicredi, que será investida em material de construção e recursos adquiridos por 13 associados do Grupo de Apoio à Policia Civil (GAPC), que foi criado há um ano para auxiliar o órgão de segurança.Ao avaliar o trabalho desenvolvido pelos detentos, a delegada destaca a importância de se incentivar a ressocialização dos presos na sociedade. “É uma chance para mostrar que eles são úteis para a sociedade e uma oportunidade de ressocialização. É importante a comunidade ver o trabalho e com o cumprimento de pena, acaba sendo uma experiência que irá agregar para eles buscarem uma oportunidade de emprego”, frisou. A reforma tem previsão de conclusão dos trabalhos em 40 dias.

QUE O DIZ A SUSEPE

A Delegada Penitenciária da 8ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR), Samantha Longo, destacou que esse projeto, além de proporcionar um retorno para a sociedade em suas necessidades, está promovendo uma forma de integração entre os órgãos de segurança pública, e também oportunizando a qualificação aos privados de liberdade em cumprimento de pena nas unidades prisionais da região.

Os apenados possuem autorização judicial e são acompanhados por escolta funcional. Eles trabalham de forma voluntária e itinerante na execução de projetos voltados às necessidades da comunidade do município, como por exemplo a manutenção e limpeza de praças públicas, revitalização de prédios, entre outras ações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here