Delegada Alessandra Xavier está à frente da Polícia Civil de Candelária

Aos 40 anos, a Terra do Botucaraí será a segunda cidade gaúcha em que irá atuar

0
Delegada Alessandra Xavier de Siqueira veio transferida de Uruguaiana. Foto: Heloisa Corrêa/JC

A Delegacia de Polícia de Candelária está, agora, sob o comando de uma mulher. Trata-se da delegada Alessandra Xavier de Siqueira, de 40 anos, que veio transferida da Delegacia de Uruguaiana, onde era titular. Policial Civil há 15 anos, a Terra do Botucaraí será o segundo município gaúcho em que ela vai atuar, já que nos primeiros nove anos trabalhou no estado de São Paulo, sua terra natal.

Há seis anos morando em solo gaúcho, Alessandra acredita que já está se habituando aos costumes e à culinária daqui. Em pouco mais de um mês vivendo em Candelária, no entanto, relata que percebe diferenças entre este município e Uruguaiana. Ela está achando a cidade mais calma e os tipos de crimes menos violentos. Junto com Alessandra, vieram o marido e o filho.

Conforme conta, um dos pontos que mais gosta na profissão que exerce é o fato de ser dinâmica. “É bem difícil ficar entediada”, brincou. Ao longo de sua trajetória, não desenvolveu foco ou especialização em qualquer tipo de crime. Por aqui, pretende continuar com sua metodologia de atacar o crime como um todo. No entanto, Alessandra já está ciente de um dos principais desafios: homicídios relacionados ao tráfico de drogas.

Esse problema já é conhecido da delegada, pois já era uma das prioridades dela em Uruguaiana. Segundo ela, os homicídios são reconhecíveis e, a partir disso, é possível ver a evolução e inserção do tráfico na cidade. “Precisamos de uma linha combativa, para não deixar as facções tomar conta”, afirmou. Segundo ela, há uma migração desses grupos criminosos para o interior, que deve ser barrada.

CARREIRA
Ser policial civil sempre foi um sonho. Não por acaso, Alessandra se formou em Direito pela Instituição Toledo de Ensino (ITE), em Bauru (SP), com maior apresso pela área criminal e penal. Tão logo se formou, já prestou concurso. Mesmo sendo delegada, Alessandra também já sofreu com o machismo. Ela aprendeu, no entanto, que a maneira como se impõem frente aos demais, principalmente homens, faz toda diferença. “É preciso chegar firme, porque é algo bem complicado. Principalmente na polícia, o machismo está enraizado”, disse.

Delegada quer agilizar grupo de apoio à polícia

Uma das primeiras impressões da delegada Alessandra Xavier ao iniciar o trabalho na Delegacia de Polícia Civil de Candelária foi a de que o local precisa de investimentos. Uma das maneiras encontradas por ela para viabilizar isso é a estruturação de um grupo de apoio à Polícia Civil. A exemplo de como o Clube da Gasolina atua, a ideia é que os membros estejam dispostos a angariar recursos que possibilitem melhorias pequenas, mas consideráveis na delegacia. “Para conserto de viaturas, reforminhas… coisas que se tornam burocráticas demais se encaminharmos para o Estado e que acabam atrapalhando nosso trabalho”, detalhou.

Nesse sentido, a delegada está fazendo um chamamento à sociedade civil, para que se engajem na causa. Conforme a delegada, se houver o estabelecimento dessa associação sem fins lucrativos, é possível encaminhar projetos e ter acesso a verbas de editais públicos e privados. Será feito um estatuto e escolhida uma diretoria.

Dessa maneira, Alessandra espera conseguir envolver mais a comunidade, reunindo pessoas de todas as áreas, setores e localidades. “Todos aqueles que tiverem interesse no bom andamento do trabalho da Polícia Civil serão bem-vindos”, disse. Os interessados podem buscar mais informações na Delegacia ou através do telefone 3743-1178.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here